O que você sabe sobre calibração?

calibração

A calibração é um conjunto de atividades que tem por objetivo demonstrar o desempenho do equipamento, em geral ela é dividida em duas etapas: A primeira etapa compreende a aquisição dos dados, onde o técnico responsável irá analisar o seu equipamento realizando todas as medições – utilizando sempre padrões rastreáveis*. Já a segunda etapa contempla o processamento dos dados coletados através de cálculos estatísticos definidos em norma. O resultado da calibração é expresso em forma de um certificado, este possui as informações necessárias para representar o desempenho do equipamento calibrado. As informações encontradas em um certificado de calibração são definidas pela norma NBR ISSO 17025.

*Obs.: Quando é dito que na calibração está sendo utilizado “Padrão rastreável” significa que o seu equipamento está sendo calibrado com uso de instrumento de medida certificado por órgão padronizador maior, que no caso do nosso país é o INMETRO – órgão que rege a metrologia no Brasil. 

LEIA TAMBÉM: 7 Dicas de como contratar calibração

E o que NÃO É calibração?

Frequentemente percebemos que os profissionais que contratam calibração para seus hospitais confundem a atividade de “calibração” com as atividades de “medição”, “ajuste” ou “comparação”. O principal problema que vemos na ocorrência dessas dúvidas é justamente em acarretar na contratação de serviço distinto do que se espera ou se precisa!

Para ajudar a tirar estas dúvidas, procuramos apresentar os conceitos do vocabulário internacional de metrologia (VIM 2012), acrescentando nossa visão prática de cada uma dessas atividades no ambiente hospitalar:

  • Ajuste“Ato ou efeito de reajustar; restabelecimento de equilíbrio; regularização” – Ou seja, o ajuste deve ser solicitado somente quanto for entendida a necessidade de corrigir um erro detectado no equipamento.
  • Verificação “Ação ou efeito de verificar; ato de fazer uma averiguação; exame.” – Ou seja, trata-se de atividade de medição e, portanto, serve para garantir a confiabilidade e segurança de um dado equipamento, mas não pode confiar certificado, já que não aplica o mesmo rigor metrológico e cálculos estatísticos da calibração. A verificação é, portanto, uma checagem que pode ser bem empregada no check-list da preventiva ou de alguma rotina de inspeção periódica. Também recomendamos a verificação em situações quotidianas que requeiram laudo de avaliação, por exemplo, antes do uso de equipamento emprestado por terceiro para uso no centro cirúrgico.
  • Aferição – “Ato ou efeito de aferir; confrontação de dados.” – Na prática, a atividade de aferição pode ser entendida como sinônimo da atividade de verificação.

Importância da Calibração

Calibração

Calibração é a ferramenta fundamental para que se possa traçar o perfil de confiabilidade e erro dos equipamentos médicos.

Podemos utilizar como exemplo um ventilador pulmonar, que é um equipamento que possuí configurações de funcionamento e terapias que variam de acordo com faixa etária do paciente. Um equipamento como este pode estar funcionando perfeitamente quando aplicado em um cidadão adulto, mas ao aplica-lo em uma criança ou recém-nascido – que requerem outras faixas de configuração – o mesmo pode não estar funcionando corretamente.

Portanto, saber em que pontos o erro pode estar maior e ter o diagnóstico de como o equipamento se comporta em cada faixa é essencial para garantir a qualidade dos equipamentos aplicados nos mais variados tipos de tratamento. Vale comentar que além de garantir a confiabilidade, a calibração confere por meio de certificados, evidências que protegerão legalmente o hospital em caso de evento adverso ou acidente em procedimento médico.

Se tiver mais dúvidas sobre as atividades de calibração, escreva para a gente!


QUER UM ORÇAMENTO? FALE COM OS NOSSOS AGENTES COMERCIAIS!

5 comentários em “O que você sabe sobre calibração?”

  1. Pingback: Equipacare – 07 DICAS DE COMO CONTRATAR CALIBRAÇÃO

  2. Pingback:   7 DICAS DE COMO CONTRATAR CALIBRAÇÃO – por Guilherme Xavier | Saúde Online

  3. Pingback: Tabela de Limites de Aceitação: 4 dicas para uma boa elaboração - Equipacare

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *