10 Dicas para Implantação de Ressonância Magnética (RM)

A Implantação de Ressonância Magnética pode ser um momento de tensão se não há um planejamento.

Imagine que você acabou de adquirir um excelente equipamento de ressonância magnética e recebeu da empresa fornecedora um manual de implantação de ressonância magnética de 50 páginas e centenas de recomendações técnicas. Pois é, equipamentos dessa magnitude, infelizmente ainda não funcionam apenas “plugando na tomada”. Então, o jeito é estudar todas as recomendações ou contratar alguém com experiência que se responsabilize por supervisionar o projeto.

Confira 10 dicas para implantação de ressonância magnética

1) Local da sala de exames

A definição na planta arquitetônica do local onde se pretende a implantação de Ressonância Magnética é de suma importância, começando pela observação das distâncias mínimas entre o isocentro do magneto (corpo da máquina) até locais com massas metálicas em movimento como elevadores, garagem ou passagem de automóveis. Do contrário, o local pode não atender às condições técnicas de funcionamento, já que a RM funciona como um poderoso ímã que sofre interferências podendo afetar bastante a qualidade dos exames.

Cada fabricante possui sua tabela de distâncias mínimas para evitar interferência. Veja o exemplo abaixo :

2) Local da sala de comando

Para uma boa implantação de Ressonância Magnética, é preciso que o posicionamento da sala de comandos em relação ao eixo da RM seja adequado. O posicionamento inadequado seria, por exemplo, em paralelo à mesa de exames, pois é importante que o operador da máquina tenha total visão do paciente dentro do túnel. Veja no desenho ao lado como a visão do operador fica prejudicada nessas condições.

O posicionamento mais adequado para sala de comando é sempre perpendicular à sala de exames, conforme layout abaixo:

Implantação de Ressonância Magnética

3) Rota de acesso

A implantação de ressonância magnética pode ser um problema, pois o equipamento é um dos maiores e mais pesados que serão entregues durante a montagem de um novo hospital. O magneto pode pesar até 6.000 Kg e ter dimensões bastante avantajadas, suficientes para que não passe por nenhuma das portas.  Portanto, é fundamental que desde a fase de projetos seja planejada a rota de entrada do equipamento.

Implantação de Ressonância Magnética

Para implantação de ressonância magnética são necessárias passagens com vão livre de até 2,5m x 2,5m (alt. x larg.) e corredores de até 2,5m x 2,0m (alt. x larg.) Significa que será necessário deixar algumas paredes e  portas sem execução até que a máquina entre e seja posicionada.

4) Tubo Quench

Para o funcionamento da ressonância magnética é necessário fazer circular em bobinas (condutores enrolados) uma alta corrente elétrica para gerar um alto campo magnético. Mas, para que esta alta corrente elétrica seja possível sem aquecimento, é necessário resfriar os condutores com gás hélio em baixíssima temperatura, na sua forma liquida criogênica.

Quando há algum problema na máquina ou alguma outra emergência que requeira a diminuição imediata do campo magnético, este gás hélio deve ser esgotado através de um duto especial chamado de “Tubo Quench”, ou Duto de Exaustão de Emergência.

Ocorre frequentemente que a existência deste tubo não é considerada durante a fase de projeto  o que dificulta muito na implantação de ressonância magnética, pois depois que o prédio está quase pronto, torna-se difícil viabilizar o caminho do tubo da sala de exames até alguma área externa superior ou lateral superior do edifício. Portanto, este requisito deve ser considerado desde a fase de projetos, sendo resolvido normalmente pela criação de shaft para passagem do tubo.

5) Circuito de água gelada

Como citado anteriormente, os imãs da ressonância magnética são resfriados com gás hélio em sua forma líquida, à baixíssimas temperaturas (-268,93°C). Para manter este gás resfriado é utilizado sistema de resfriamento à água, ou seja, chillers.

Implantação de Ressonância Magnética

Logo, é necessário prever no projeto área técnica externa para instalação desse sistema e planejar o percurso das linhas de água gelada que vão do chiller até a sala técnica da RM. Algumas vezes é possível utilizar o mesmo shaft criado para passagem do Tubo Quench para a passagem dessas linhas de água gelada.

NÓS RECOMENDAMOS!

Aqui na Equipacare, costumamos indicar que sejam adquiridos 2 Chillers para trabalhar em redundância, pois seu custo não é tão caro frente aos benefícios e retorno financeiro de não ter interrupções na rotina de exames.

Confira  na foto, 2 Chillers instalados em piso técnico, e a saída das linhas de água gelada que chegam até a sala técnica.

6) Climatização

 Outro item de grande importância para a implantação de ressonância magnética é a climatização dos ambientes. Como é requisitado controle especial de temperatura e umidade para os ambientes e como cada modelo possui suas especificidades e dissipações térmicas diferentes, é necessário contratar um projetista para auxiliar a especificar e adquirir máquinas de ar-condicionado apropriadas.

Implantação de Ressonância Magnética

No entanto, o problema de maior atenção não está relacionado com a contratação desse projetista,mas sim, com a falta de previsão em projeto do local adequado para a instalação dessa máquina de ar-condicionado, em distância mais ou menos próxima da sala de exames.

Quando não é prevista sala de máquinas próxima à sala de exames, a tendência é que se tenha grandes dificuldades e interferências para passagem e compatibilização dos dutos de ar. Veja na foto ao lado como são grandes esses dutos e imagine como pode ser difícil conduzir os mesmos por distâncias maiores.

Leia também: Dicas para Implantação de Salas Cirúrgicas Inteligentes

7) Piso da sala de exames

 Todas as salas de exames precisam de uma cabine de radiofrequência (RF), também chamada de blindagem de RF ou gaiola de faraday. Esta consiste normalmente numa caixa de alumínio ou outro material similar, e serve para evitar que ondas de radiofrequência externas entrem causando interferências na geração dos sinais e funcionamento da ressonância.

Implantação de Ressonância Magnética

A caixa da cabine de RF tem espessura significativa, portanto, para que o piso acabado da sala de exames após a instalação da cabine fique no mesmo nível do piso do corredor, normalmente é necessário que o contrapiso (base) da sala de exames seja feito 04 cm abaixo da altura do piso do corredor, caso a porta abra para dentro, ou 03 cm abaixo do corredor, caso a porta da sala de exames abra para fora. 

Implantação de Ressonância Magnética

Geralmente o gerente de obras desconhece o requisito desta diferença de nível, causando atraso e retrabalho na obra.

8) Instalações acima e abaixo da sala de exames de RM

 Outro problema que ocorre bastante na instalação de RM e que acabam gerando perdas e retrabalho é a passagem de instalações diversas pelo entreforro acima da sala de exames de RM. Porém, não é permitida a passagem de nenhuma instalação quer seja calha elétrica, duto de ar-condicionado, gases e, muito menos, tubulação hidráulica passando por cima da cabine de RF. Todas essas instalações devem contornar (dar a volta) e nunca passar por sobre a sala de exames.

Por conta deste requisito, é proibitivo que no pavimento logo acima da sala de exames de RM se tenham ambientes como: central de material esterilizado, vestiário com banheiros do centro cirúrgico, dentre outras áreas com muitas instalações hidráulicas que ofereceriam um risco sério à integridade da RM. Também, não é permitido que haja nem acima nem abaixo da sala de exames de RM, equipamentos pesados, como: geradores, máquinas de ar-condicionado, equipamentos de lavanderia, esterilização, ou qualquer motor elétrico de potencia mais elevada.

Para melhor compreensão de todas essas exigências espaciais, podemos observar a ilustração abaixo, que mostra a distribuição do campo magnético produzido por uma RM no eixo vertical.

Implantação de Ressonância Magnética

9) Iluminação da sala de comando

 O projeto de iluminação da sala de comandos é de responsabilidade do cliente, ou melhor, da empresa de projetos elétricos contratada, e por isso, este é um tópico que acaba não sendo muito bem especificado no manual de instalação da RM, nem supervisionado pela empresa fornecedora.

A iluminação da sala de comando deve ser dimerizável, ou seja, com controle de intensidade para que seja possível deixar o ambiente em penumbra ideal para trabalho e visualização dos monitores especiais que ali são utilizados.

A iluminação ideal deve ser estável (sem oscilação), podendo ser adotado valor nominal máximo de 300 lux, para limpeza e manutenção, mas durante o trabalho com monitores deve permitir a redução da intensidade para ordem de 10 a 30 lux (penumbra).  Também é importante que na sala não possua janelas ou outras luminárias que possam provocar reflexão indesejada nos monitores.

10) Acabamento da cabine de RF

 Em todas as salas de exames de ressonância magnética precisam ser montadas cabines de proteção de radiofrequência, também chamadas de gaiolas. Essas gaiolas normalmente não vêm junto com o equipamento de RM e devem ser compradas de fabricantes especializados, que fornecerão sob encomenda de acordo com as especificações do modelo da ressonância.

Interessante comentar que a maioria dos hospitais adquire a gaiola no seu pacote de acabamento mais básico, que custa em torno de R$ 90 mil. Mas consideramos que encomendar alguns itens extras de acabamento são fundamentais para proporcionar um melhor resultado.

Dentro de um contexto de investimento da ordem de 2 a 3 milhões de reais, gastar apenas 15 ou 20 mil reais a mais no acabamento da gaiola da ressonância magnética não só confere humanização ao serviço médico, como valoriza todo o conjunto, inclusive fazendo parecer que o serviço de imagem e o equipamento é “mais moderno”, mesmo que se trate de um modelo de ressonância magnética básico.

—-

NOTAS:

Agradecemos à CIBAM por ceder algumas das fotos utilizadas neste post. Quem tiver interesse de conhecer o álbum de fotos completo da evolução do inicio ao fim da obra, segue o link: Álbum Fotos CIBAM

Interessante comentar que a CIBAM contava com uma tomografia que ficava subutilizada por falta de radiologistas para laudar os exames. O Centro fechou uma parceria com a Pró-Laudo Telerradiologia (http://www.prolaudo.com.br) para elaborar o volume crescente de laudos e a tomografia está agora funcionando em horário integral. O crescimento foi tanto que o Centro colocou para funcionar a sua primeira ressonância.


Não fique por fora! Receba por e-mail as nossas novidades e informações sobre a área de Engenharia Clínica e Hospitalar CLIQUE AQUI.

Engenheiro e empreendedor, é formado em Engenharia Elétrica com Ênfase em Engenharia Clínica pela Universidade Federal de Itajubá, cursou Gestão de Empresas pela FGV-Rio, pós-graduação em Gestão em Saúde com Ênfase em Administração Estratégica pela Estácio. Diretor Geral da Equipacare Engenharia, empresa pela qual já prestou consultoria para mais de 100 projetos hospitalares em todas as regiões do Brasil. Atualmente é o principal consultor de engenharia clínica do Sistema Unimed, já tendo atendido mais de 50 singulares. Suas especialidades são o planejamento, especificação, negociação, comissionamento de instalação e gestão de tecnologias médicas para empreendimentos hospitalares.

41 comentários em “10 Dicas para Implantação de Ressonância Magnética (RM)”

  1. Bom Texto, Somente Um Comentário A RespeitO Da Sala De Comando, Quando For Na Lateral,Pode Se Usado Um espelho Oval Ou Cameras Para Observar Melhor O Paciente.

  2. Excelente texto de esclarecimento aos “novos” compradores. Parabéns pelo trabalho !!!

    Se me permite um comentário, quando aborda o tema do desnível do contra piso da sala de exames em relação ao piso do corredor, vale uma lembrança importante, já adotada em vários países como norma e recomendada no Brasil pela Philips e por outros fornecedores : A porta da cabine de RF (sala de exames) deve ter sua abertura sempre para o lado de fora. Tal medida é recomendada, por segurança do paciente, em caso de quenchs, pois o mesmo aumenta muito a pressão dentro da sala de exames e pode impedir a abertura da porta se a mesma for para o lado de dentro, prendendo os ocupantes da mesma no interior dela.

    Abraço e novamente parabéns pelo excelente texto.

  3. Caros, ótima matéria!

    Complementando o item 3, Rotas de Acesso, é muito importante que seja observado que para entrar no local de instalação, a máquina, primeiramente, deverá chegar até este local. Como se trata de um equipamento de grandes dimensões e peso, certamente será trazido por um grande caminhão e utilizará grandes guindastes para sua movimentação. Portanto, o planejamento da via de acesso, autorizações de bloqueios de via junto aos órgãos de trânsito competentes, local para parada do caminhão de transporte do magneto e caminhão de transporte das demais partes da máquina, local para parada e patolamento do guindaste, estudo de interferências locais como fiação elétrica, tipo de solo onde será patolado o guindaste, liberações de acesso junto à condomínios e, até mesmo, a previsão climática e de eventos de grandes proporções, entre outros, faz-se fundamental para que a entrega e entrada do equipamento no Hospital ou Clínica aconteça.
    Quanto à rota interna, é importante atentar-se não só as dimensões necessárias para passagem do magneto, mas também às condições de tolerância de peso do piso/lage desta rota. Muitas vezes são necessários reforços estruturais no caminho pelo qual passará a máquina. O mesmo deve ser considerado para o local de instalação.
    Recomendo fortemente o envolvimento de uma equipe de engenharia de segurança durante a operação.Esta equipe é fundamental para monitorar e prestar suporte durante o processo de entrega, visando a segurança de colaboradores, transeuntes e do equipamento e evitando possíveis dores de cabeça.
    Fechando meus comentários, é muito importante também se atentar à passagem dos armários técnicos. Estes itens costumam ser esquecidos e tem um tamanho e peso consideráveis. Um erro comum é não prever a abertura de porta necessária para a entrada destes armários na sala técnica.

    Abraço e parabéns pela divulgação destas informações.

  4. Ótimas dicas, parabéns e obrigado! Um tema interessante seriam os parâmetros para escolha do equipamento, especificações e etc. Mas acho que isso per se merece um tópico a parte…Abraços.

  5. FABIO LUIS DA SILVA

    Boa tarde qual a frequência de recarga de gás hélio nos equipamentos de RM 1,5 (BRIVO 355 – GE, AVANTO, da SIEMENS)…? É verdade que os equipamentos mais novos não precisam de recarga (ESSENZA da Siemens)?

  6. Muito interessante estas informações para nos que projetamos ambientes de EAS no território brasileiro. Nos profissionais especializados nesta area especifica somos gratos aos colegas que se dispõem a informar de forma clara e precisa.

  7. Trabalhamos com a adequação para instalação de aparelhos de Ressonância Magneticas, Tomógrafos, Raio-x e Hemodinamicas. Temos grande experiência nesta área, nos colocamos a disposição caso precisem desse tipo de trabalho. Obrigado

  8. Bom dia Guilherme.

    Estou em dúvida aqui e talvez você possa me ajudar. É possível de se instalar duas ou mais máquinas de ressonância magnética, no mesmo andar de uma edificação, seja embaixo ou ao lado uma da outra, com as devidas precauções do fabricante e demais cuidados, sem que haja interferência nos resultados emitidos pelas máquinas?
    Muito obrigado.

    1. Bom dia Lúcio,

      Sim, é possível se ter duas ou mais máquinas na mesma edificação, respeitando algumas orientações do fabricante sobre distância, layout e posição. Tivemos um cliente em Salvador que têm 07 ressonâncias em um mesmo edifício.

      Att,

  9. Boa lista! Serve de lições aprendidas pois geralmente sao esses os pontos de maior risco. Precisando de parceiros com experiência, a Daudt Engenharia faz esses projetos e gerenciamento.

  10. Guilherme, boa tarde.

    Por gentileza, estamos verificando a viabilidade da instalação do equipamento em uma área de um pavimento que suporta 750 kg/m², nas instruções acima verificamos que o equipamento pesa 6.000 kg. Sabe nos dizer qual o peso dele por m²? Para viabilizarmos a locação do mesmo.
    E qual a vazão e diâmetro necessário da entrega de água gelada para o mesmo?

    Atenciosamente,

    1. Olá Islauane. Em uma relação simples da área de ocupação com o peso dele, temos em torno de 1.210 kg/m² na região do magneto da ressonância.
      Mas além desse peso ainda temos o peso da blindagem de RF que ao total (em toda a sala) pesa em torno de 5.000 kg. E também pode ser que seja necessário blindagem magnética (de acordo com interferências no local) que pode ter um peso de 5.000 kg também.
      Sobre a tubulação de água gelada, pode-se considerar diâmetro de 2″ e a vazão de 10m³/h (esse é o pior cenário para os equipamentos comuns). Mas, de modo geral, é indicada a execução após confirmação da ressonância, do fornecedor do chiller e validação do trajeto.

      Resposta cedida por nosso setor de projetos.

  11. Ana Maria Gonçalves

    Muito bom o conteúdo e os comentários uma vez que é uma área onde se tem pouca informação técnica disponível em língua portuguesa.

    1. Olá Ana,

      Ficamos felizes com seu feedback!
      Infelizmente não há mesmo muitas informações técnicas disponíveis acerca dessa tratativa. Esperamos ter ajudado.
      Caso queira mais detalhes sobre o processo ficamos a disposição para quaisquer esclarecimentos.

    1. Olá Carlos, existem ótimos cursos para engenharia clínica seja para o nível técnico ou superior. Qual desses você teria mais interesse?
      É uma área que se expande cada vez propiciando muitas oportunidades.

    1. Olá Pablo. O único item que falamos sobre corrente é o item 4. Essa valor varia muito entre modelos e fabricantes, o ideal para dimensionamento no projeto elétrico é considerar a potência, que nos modelos convencionais vai de 50 kVAs a 120 kVAs.

      Resposta cedida por nosso setor de projetos.

    1. Sim, é necessário adquirir monitor multiparamétrico adequado para área de alto campo magnético. Estes monitores são projetos especialmente para isto. Infelizmente seu custo é muito mais elevado do que monitores multiparamétricos comuns. Há ainda outra alternativa, que é a de monitorar da sala de comando projetando guias de onda para passagem de sensores com cabeamentos mais longos, o que requer projeto especial.

    1. Olá Carlos. A potência elétrica de uma ressonância de 1,5 kVA pode variar de 50 kVAs até 120 kVAs (equipamentos mais comuns do mercado). Há modelos de até 200 kVAs, mas esses são adquiridos em centros muito específicos.

      Resposta cedida por nosso setor de projetos.

  12. Existe alguma restrição caso a estrutura da edificação seja realizada em estrutura metálica? Caso sim, que cuidados tomar?

    1. Olá Roberto. Existem sim algumas restrições. O ideal é que componentes da estrutura (como vigas e pilares) estejam nas extremidades da sala de exames, ainda que em pavimento abaixo. E não sendo possível (no caso de vigas no pavimento abaixo), que se preserve ao menos a região imediatamente abaixo do equipamento, evitando que na distância de 1,3 metros do isocentro se tenha no máximo 100 kg/m de ferro de estrutura.

      Resposta cedida por nosso setor de projetos.

  13. Aureo Chioramital Junior

    Boa tarde. Na implantação de RM, como existe a preocupação de interferência com massas metálicas, quais cuidados eu tenho que ter para implantar em uma edificação com estrutura metálica?

    1. Olá Aureo. Em edificações cuja estrutura é metálica, deve-se cuidar para que as colunas e vigas estejam distantes mais de 3 m do isocentro do magneto. Deste modo, não é permitido que se passe uma viga muito próximo da máquina. Te todo modo, as empresas fornecedores dos aparelhos poderão avaliar situações caso a caso. É padrão que sejam realizados testes e procedimentos de calibração/ajuste para adequar os parâmetros da máquina as condições do seu local de operação, e mesmo havendo massas metálicas próximas, poderá ser possível realizar o shimming (homogeneização das linhas de campo) à situação do local.

      Resposta cedida por nosso setor de projetos.

  14. Bom dia!
    Ótimo material, bem explicativo, ajuda muito.
    Tenho uma dúvida, existe algum estudo ou material que auxilie na limpeza da sala,bobinas, magneto e porta da Ressonância, algo que explique como fazer?

    1. Interessante sua demanda Tatiane, infelizmente não temos este material aqui para te enviar, pois as práticas de conservação fazem parte do treinamento ministrado pelos fornecedores das ressonâncias, com certeza são os canais mais seguros para se solicitar isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *